O Corre da Mãe Empreendedora

Empreendedorismo Feminino. Termo que vem ganhando cada vez mais espaço. Uma tendência ou reflexo da situação econômica atual? Na periferia, desde sempre, mulheres empreendem…

A mãe empreendedora nem sempre opta por esse caminho por uma questão de estratégia de negócios ou 100% ciente de cada etapa necessária para que seu empreendimento alcance o sucesso. Muitas vezes empreender é a única saída. Muitas vezes empreender também é a expressão da sua potência, da sua força, do sonho e do direito de ser quem se quer ser. Outras vezes é a valorização da sua história, da arte manual que a artesã ou artesão aprendeu com sua mãe, avó, tias…

Ao serem questionadas sobre como começaram a ter seu negócio próprio, muitas  empreendedoras nos respondem:

“Queria ter um tempo pra ficar com meu filho e não depender financeiramente de ninguém!”

Outras ainda carregam uma memória afetiva:

“Aprendi a trabalhar com as linhas com minha mãe, desde menina, hoje esse é o meu sustento”

Empreender na periferia não é sobre ter uma ideia genial e inédita e se tornar um grande negócio. É sobre conquistar autonomia…É a maneira que muitas mulheres encontram pra pagar as contas numa situação de desemprego (cada vez mais comum, infelizmente). Ou seja, empreender nem sempre é uma escolha, e sim uma necessidade! Mas, por trás dessas histórias de luta, há muita luz também. Mães empreendem pra estarem próximas de seus filhos, porque não se imaginam fazendo outra coisa que não seja “honrar” a arte manual herdada pelas avós, mães. Muitas vezes é para complementar a renda dentro de casa ou pra passarem por uma situação de escassez financeira, mas também tem muito amor nesta escolha.

E há desafios neste percurso, como há! Os desafios são muitos e vão além de entender do próprio negócio; é um malabarismo diário que envolve: conciliar os cuidados com a casa e a família (sabemos que, na maioria dos casos, essa responsabilidade ainda recai sobre as mulheres), dar conta das atividades do emprego fixo quando é o caso de uma dupla jornada, planejar todas as etapas e preparar os produtos para a venda dentro de prazos que atendam os potenciais consumidores, comprar matéria-prima e ainda administrar essas finanças para que o empreendimento se sustente. Ufa!

Quando uma mulher decide empreender, ela coloca nos seus produtos seus sonhos, sua expectativa de uma vida melhor, suas necessidades materiais, liberta ali sua criatividade, dedica seu amor pra entregar o melhor de si em forma de produto!

O Dia das Mães se aproxima e a reflexão que propomos é: “Será que, além de homenagear as mães do seu convívio com um presente, não é possível ir além e ajudar a tornar o Dia das Mães de alguém mais próspero e feliz?”.

Agora, com a pandemia, as coisas estão mais complicadas ainda e é momento de colocar a solidariedade em prática. Pertinho de você certamente há uma mãe criativa, talentosa e dedicada, que está ansiosa pela oportunidade de que seus produtos sejam ofertados com muito amor a outras mães nas próximas semanas, e que os frutos desse trabalho retornem pra ela, para que sejam ofertados, a seus filhos, melhores condições.

Vamos nos unir nessa causa? Valorizar, reconhecer o trabalho de uma mãe trabalhadora manual! Que faz um trabalho com o coração e a alma, que se dedica com cuidado e carinho a cada detalhe. Bem diferente dos grandes comércios. Vem com a gente! Some na nossa Campanha do Dias das Mães! Compartilhe e divulgue essa causa!

#fortaleçaotrabalhodeumamãe

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *