ACESSO LOJISTA

ENTRAR

ACESSO CLIENTE

ENTRAR
Meu carrinho

Tânia Sales

Tânia Sales

Comecei a fazer biju, quando meu marido e eu ficamos desempregados. Trabalhava como assistente de vendas do comércio exterior em uma multinacional e tive que sair por conta de uma doença familiar, do meu filho, na época com 4 meses. Daí partimos para vender roupas, mas o meu tempo tinha que ficar livre para eu cuidar da saúde do meu filho e da casa. Meu marido estava sempre comigo, muito parceiro, até que teve a ideia de fazer biju e vender nas portas das faculdades. Então, fomos a 25 de Março comprar uma banca, e eu comecei a montar umas bijus por conta própria, fazendo do meu jeito, com meu olhar. Ele começou a vender nas portas da FMU, FIAM e Belas Artes. começamos a fazer grêmio e bazares. e na facul da FAAP fizemos uma exposição na área da alimentação numa Lanchonete chamada Copérnico.





Meu marido, Luís apelidado Lindóia, me ensinou tudo. Muito experiente em vendas e administração. estávamos indo muito bem! Sou uma artesã porque ele me ajudou muito. Infelizmente, ele faleceu em 2015.





Em 2018 minha amiga Re Luz , me chamou para fazer um curso de Gestão para o Comércio na Fundação Julita. aqui no meu bairro. Essa foi a oportunidade para eu começar de novo, começar outra história. Meu filho hoje tem 28 anos, está curado, e tenho outras duas filhas. Já tentei parar de fazer bijus, mas é meu ganha-pão, Durante todos esses anos, eu conquistei muitas clientes que viraram amigas.





Que até hoje elas estão junto comigo me dando a maior força.





Atualmente estou numa fase de passar minha história adiante para outras mulheres que são mães de filhos pequenos. Somos empreendedoras natas. Somos guerreiras vamos a luta para sustentar nossos filhos fazendo o que mais sabemos. Cada uma com sua habilidade. Desistir jamais.
Cinque Terre

Tânia Sales

Tânia Sales

Comecei a fazer biju, quando meu marido e eu ficamos desempregados. Trabalhava como assistente de vendas do comércio exterior em uma multinacional e tive que sair por conta de uma doença familiar, do meu filho, na época com 4 meses. Daí partimos para vender roupas, mas o meu tempo tinha que ficar livre para eu cuidar da saúde do meu filho e da casa. Meu marido estava sempre comigo, muito parceiro, até que teve a ideia de fazer biju e vender nas portas das faculdades. Então, fomos a 25 de Março comprar uma banca, e eu comecei a montar umas bijus por conta própria, fazendo do meu jeito, com meu olhar. Ele começou a vender nas portas da FMU, FIAM e Belas Artes. começamos a fazer grêmio e bazares. e na facul da FAAP fizemos uma exposição na área da alimentação numa Lanchonete chamada Copérnico.





Meu marido, Luís apelidado Lindóia, me ensinou tudo. Muito experiente em vendas e administração. estávamos indo muito bem! Sou uma artesã porque ele me ajudou muito. Infelizmente, ele faleceu em 2015.





Em 2018 minha amiga Re Luz , me chamou para fazer um curso de Gestão para o Comércio na Fundação Julita. aqui no meu bairro. Essa foi a oportunidade para eu começar de novo, começar outra história. Meu filho hoje tem 28 anos, está curado, e tenho outras duas filhas. Já tentei parar de fazer bijus, mas é meu ganha-pão, Durante todos esses anos, eu conquistei muitas clientes que viraram amigas.





Que até hoje elas estão junto comigo me dando a maior força.





Atualmente estou numa fase de passar minha história adiante para outras mulheres que são mães de filhos pequenos. Somos empreendedoras natas. Somos guerreiras vamos a luta para sustentar nossos filhos fazendo o que mais sabemos. Cada uma com sua habilidade. Desistir jamais.

Nenhum produto encontrado